set 16, 2017
656 Views
0 0

Luiz Cicaroni resgata a história política e o antigo “Janismo” para São Caetano do Sul com o PODE

Written by

Em visita a redação da “Tribuna do ABCD” , o presidente do novo partido Podemos de São Caetano, Luiz Antonio Cicaroni, enfatizou ao jornalista Pedroso, que dentre breve estará inaugurando a sede do partido e iniciando o processo de filiação. Cicaroni disse: “Conheça as nossas propostas para transformar, de forma colaborativa, a maneira de fazer política nas cidades e no país. O que precisa mudar no Brasil? O que o Brasil significa para você? O que o país pode esperar de você? Se o Brasil atual é sua grande decepção, é hora de mudar! O PODEMOS defende uma nova visão de democracia. É preciso aproximar cidadãos e partidos, afinal, mais democracia nunca é demais. O PODEMOS se apoia em transparência, participação e + democracia direta, princípios que devem ser estimulados no intuito de equacionar três gargalos: bem-estar social, bem-estar econômico e bem-estar político. Por isso, defende o envolvimento da população e a participação bem mais ativa da sociedade em todas as questões da nação. O PODEMOS acredita que para mudar de verdade precisamos dividir a decisão com o povo. E por isso defendemos mais transparência no poder público, mais participação da população na política e mais Democracia Direta para decidir o futuro do Brasil”, disse.
História – O Podemos (PODE), anteriormente denominado Partido Trabalhista Nacional (PTN), é um partido político brasileiro. É um dos partidos mais antigos do Brasil, uma vez que remonta à organização fundada na República Nova por dissidentes do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e refundada com o retorno do pluripartidarismo no país. Tem sido comandado pela família Abreu (José Masci de Abreu, Dorival de Abreu e Renata Abreu) desde a refundação em 1995. Antes disso, conseguiu eleger um filiado como presidente do Brasil: Jânio Quadros, em 1960.
Fundado em 1945, acolheu Hugo Borghi e outros dissidentes do PTB em 1947. Teve alguma expressão em São Paulo, no Rio de Janeiro e na Guanabara.
Em 1960, lançou o candidato vitorioso à presidência, Jânio Quadros. Foi extinto pelo Regime Militar, por intermédio do Ato Institucional Número Dois (AI-2), de 27 de outubro de 1965.
O PTN chegou a ter entre seus filiados o sambista Paulo da Portela, Artur da Távola, deputado estadual na Guanabara, o deputado paulista Emílio Carlos, na primeira fase, e o então prefeito de São Paulo Celso Pitta, na segunda fase.
O PTN foi refundado em maio de 1995, ganhando o registro provisório no mesmo ano; no ano seguinte já obteve o registro definitivo da legenda, tendo sido dirigido pelo ex-deputado petebista Dorival de Abreu; e seu código eleitoral é o 19.
Após o falecimento de Dorival, seu irmão, o também ex-deputado federal paulista José de Abreu, dirigiu a legenda. Nas eleições presidenciais de 1998 lançou como candidata a presidência a Secretária Geral da legenda, a paulista Thereza Ruiz, que obteve votação superior a 100 mil votos. Em São Paulo, apresentou o candidato a governador Fred Corrêa, nas eleições de 2006.
No pleito de 2014, elegeu 4 deputados federais, sendo eles Bacelar (BA), Christiane de Souza Yared (PR), Delegado Edson Moreira (MG), Renata Abreu (SP) filha de José de Abreu, que também agora é a nova presidente nacional do partido e 1 deputado estadual, no Estado de São Paulo. Com a janela partidária no início do ano de 2016, vários parlamentares trocaram de legenda e o destino de alguns deles foi o PTN que hoje tem 4 deputados federais.
Em dezembro de 2016, o então “Partido Trabalhista Nacional” mudou de nome e passou a ser denominado “Podemos”. Baseado em pesquisas e estudos de consultorias, a organização foi renomeada por inspiração no mote “sim, nós podemos” (yes, we can) da campanha de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos em 2008 e sem qualquer relação com o partido-movimento espanhol Podemos. A essa época, a bancada do partido foi caracterizada como de centro-direita com parlamentares conservadores pelo presidente do diretório estadual na Bahia, João Carlos Bacelar Batista, enquanto que a nova organização não seria nem de direita, nem de esquerda, segundo seus dirigentes.
Em virtude da delação da JBS, em 18 de maio de 2017, foi o primeiro partido a abandonar a base aliada do governo Michel Temer, saindo também do bloco partidário do qual integrava ao lado do PP e do PTdoB, então declarou-se independente em relação ao governo.
Ainda em 2017 passou a ter representatividade no Senado Federal com a filiação de Alvaro Dias (ex-PV) e de Romário, que deixou o PSB no final de junho. Em agosto o partido recebeu a filiação de José Medeiros (ex-PSD), senador pelo Mato Grosso.
Hoje, a direção do PODE – Podemos é ocupada pela presidente nacional Renata Abreu, estadual (SP), Sinval Malheiros e municipal (SCS), Luiz Antonio Cicaroni. As cores do PODEMOS são amarelo, verde e azul.
Para maiores informações sobre o PODEMOS de SCS: 94033-6346 (WhatsApp)

Article Categories:
Destaque

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.