mar 17, 2018
14996 visualizado
0 0

Ser instrumento de Boas Notícias

Publicado por:

Vivemos em uma época em que, praticamente, a toda hora e em todo o momento, ouvimos uma notícia ruim. A mídia falada ou escrita não traz, absolutamente, palavra de ânimo, de esperança ou, ainda, luz no túnel escuro e tenebroso da política nacional e da sua administração pública. Ao contrário de tudo isso, acertada e prontamente, o Livro de Salomão, o da Sabedoria, diz que “a boa notícia fortalece os ossos” (Provérbios 15:30).

Assim é que, individualmente, podemos cultivar a expectativa de sermos um instrumento, um canal de boas notícias no dia a dia. Coisa boa é conviver com pessoas otimistas, de espírito alegre, contagiante e agradável, de “ossos fortalecidos” com boas notícias que sempre mantêm palavras sábias e positivas na sua boca, longe daquela antiga colocação humorística que dizia: “Minha boca é um túmulo”. Em certa ocasião, o Rei Davi, em Israel, aguardava, ansiosamente, por alguma notícia de um inesperado exército que se levantou contra ele. Estando entre o portão do muro da cidade e a porta do seu palácio, a sentinela passava recado para ele sobre um possível informante que vinha correndo dos campos de batalha com esse propósito. Assim é que está registrado: “Disse também a sentinela: Vejo o correr do primeiro que parece ser o correr de Aimaás, filho de Zadoque.

Então disse o rei: Este é homem de bem e virá com boas novas” (2 Samuel 18:27). Hoje, curiosamente, certas pessoas provocam, em nós, sensações prévias de tratar-se de uma pessoa de bem ou não, permitindo-nos o cuidado de nos resguardar na comunicação de determinados assuntos, “pois o pássaro levará” com facilidade toda e qualquer conversa, como adverte Eclesiastes 10:20 – “e os que têm asas dariam notícia do assunto”. Em face disso, às vezes, até dizemos: “tal pessoa é gente fina, gente boa”; quando não, “aquela pessoa tem uma língua perigosa”, tratando-se de gente que vive à cata de notícia que não traz edificação.

Quanto a Davi, disse sobre o informante: “é homem de bem”! Sabia que era um mensageiro de boas novas, de boas notícias e já era caracterizado por esse perfil: “homem de bem, comunicador de boas notícias”. Sejamos pessoas de bem “e do bem, e não do mal”, como falam as crianças, abrindo a nossa boca para pronunciar palavras de ânimo, de encorajamento, de otimismo, de fé, de esperança, de vida e, jamais, se ouvirá de nós, que somos pessoas negativistas.(*) O autor é membro da Academia de Letras da Grande S.Paulo)

Article Tags:
Categoria do Artigo:
Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.