fev 26, 2021
55 visualizado
0 0

Etanol volta a ser vantajoso no ABC mesmo na entressafra da cana de açúcar

Publicado por:

A entressafra de cana de açúcar não impediu o etanol de voltar a ser vantajoso pa­ra os proprietários de veículos flex nos postos de combustível do ABC. A culpa é da gasolina, cujos preços mantêm trajetória ascendente acompa­nhando a re­cuperação das cotações internacionais do petróleo.

Na semana passada, a ga­so­lina foi vendida, em média, a R$ 4,686 o litro nos postos da região, com alta de 5,1% ante o apu­rado na se­mana anterior (R$ 4,457), segundo pesqui­sa da Agên­cia Nacional do Petró­leo, Gás Natural e Biocombustí­veis (ANP), com dados compilados pela Redação.

Porém, o consumidor chegou a pagar R$ 5,299 pelo litro do derivado do petróleo em estabelecimentos de Santo André.

Na mesma comparação, o preço do etanol subiu 3,2%, para R$ 3,233 o litro, em mé­dia (veja quadro). Em alguns postos, o re­nová­vel alcançou R$ 3,699.

Como resultado, o etanol voltou a ser vantajoso no ABC, uma vez que custa em média o equi­valente a 69,0% do valor da gasolina. A ANP considera que, por ter menor poder calorífico, o renovável precisa custar até 70% do derivado de petróleo para ser considerado vantajoso. Quando a paridade é superior a 70,5%, a gasolina deve ser escolhida. Entre 70,0% e 70,4%, o uso é indiferente.

Desde janeiro, a gasolina ven­dida pela Petrobras acumula alta de 34,7%. O último reajuste, de 10,2%, foi aplicado na sexta-feira (19), depois da última coleta de dados da ANP – o que significa dizer que o aumento promovido nas refinarias na semana passada ainda não foi captado pela pesquisa.

A trajetória ascendente dos preços, no entanto, deve continuar. Nesta quarta-feira (24), as cotações do petróleo fecharam nos maiores níveis desde janeiro de 2020, o que sinaliza novos reajustes nos preços da gasolina e do diesel nos próximos dias.

As cotações internacionais do petróleo estão entre os indi­cadores que orientam a polí­tica de preços da Petrobras. Outra variável é o dólar, que segue pressionado após a intervenção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no comando da estatal.

Nos postos do ABC, a gasolina acumula alta média de 10% desde o início deste ano.

ENTRESSAFRA

No caso do etanol, a alta acumulada de 4,6% na bomba em 2021 se deve à entressafra da cana de açúcar, que reduz a produção de etanol nas usinas.

Desde meados de dezembro, o renovável ficou 24% mais caro nas usinas paulistas, segundo pesquisa do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Cepea/Esalq).

Além disso, a alta nos preços da gasolina fez crescer a demanda pelo etanol, o que também pressionou os preços do re­novável.

Categoria do Artigo:
Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.