banner
out 14, 2020
692 Visualizações
0 0

Maridos de Aluguel voltaram a ganhar espaço por conta da pandemia

Escrito por
banner

Após a chegada da Covid-19 ao Brasil, grande parte da população passou a ficar muito mais tempo em casa, com o isolamento social e o home-office. Com isso, surgiram necessidades até então escondidas dentro dos lares, como pequenas reformas e manutenção de equipamentos e eletrodomésticos. Esse foi o cenário propício para a recuperação de uma profissão que atraiu muitos trabalhadores há alguns anos, mas estava em leve baixa: o marido de aluguel.

Os maridos de aluguel são profissionais completos, capazes de resolver vários dos possíveis pequenos problemas em uma casa: chuveiro queimado, torneira quebrada, vazamentos de água, pinturas, consertos de eletrodomésticos, entre outros.

Logo no início da pandemia, a procura por esses profissionais sofreu um pequeno baque, muito por conta do receio em receber qualquer pessoa em casa, principalmente profissionais que visitam várias residências. No entanto, as medidas de higiene e segurança ajudaram a derrubar essas preocupações e os serviços de manutenção voltaram a ser muito procurados.

De acordo com dados de uma plataforma virtual que conecta estes profissionais aos clientes, em junho deste ano, a busca por serviços de assistência técnica cresceu 174%. Os profissionais mais procurados da plataforma, além do marido de aluguel, são pedreiros, montadores de móveis, tapeceiro, eletricistas, encanadores, motoristas de frete e marceneiros – quase todos relacionados à manutenção da casa.

Etiquetas do artigo:
· ·
Categorias de artigos:
Geral
banner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

The maximum upload file size: 20 MB. You can upload: image, audio, video, document, text, other. Links to YouTube, Facebook, Twitter and other services inserted in the comment text will be automatically embedded. Drop file here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Bem vindo a Tribuna do ABCD

Tribuna do ABCD