banner
dez 22, 2022
5549 Visualizações
0 0

O dia que São Caetano acordou com a Guerra Civil em sua janela

Escrito por
banner

A Guerra Civil, denominada Revolta Tenentista de 1924 teve início na madrugada do sábado, 5 de julho, quando descontentes com o modo de governar do presidente Artur Bernardes, um grupo de oficiais saíram do quartel do Exército no bairro de Santana (SP) e se dirigiram ao quartel da Força Pública no Bairro da Luz, tomando o comando da 2ª Região Militar e prendendo o General Abílio de Noronha.

Passo seguinte foram interrompidos os tráfegos dos trens da São Paulo Railway, afetando em especial as Estações de São Caetano e do Ipiranga.

O cenário de São Caetano ganhou o verniz da guerra quando nesse mesmo dia os soldados do Exército do 3º Grupo de Artilharia de Costa, do Forte Itaipu, em Santos sob comando do Major Alberto Eduardo Backer, depois de tentar chegar ao Ipiranga tiveram que recuar, preferindo acampar na Estação de São Caetano.

O quartel-general montado em São Caetano pertencia a tropa legalista que apoiava o governo de Artur Bernardes que enfrentava as forças militares rebeldes comandadas pelo General Isidoro Dias Lopes.

O General Góis Monteiro, no tempo em que era um jovem capitão foi um dos que estiveram acampados em São Caetano, circulando nas imediações da estação ferroviária, em especial na Rua Perrella.

Ele deixou diversos escritos sobre as ocorrências militares nas cartas escritas a sua esposa, e que se encontram no livro “Subúrbio”, do historiador José de Souza Martins.

* Pesquisa Humberto Domingos Pastore

Categorias de artigos:
Artigo · Cantinho do Pastore · São Caetano Do sul
banner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

The maximum upload file size: 20 MB. You can upload: image, audio, video, document, text, other. Links to YouTube, Facebook, Twitter and other services inserted in the comment text will be automatically embedded. Drop file here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Bem vindo a Tribuna do ABCD

Tribuna do ABCD